O sono interrompido por um momento de extrema clarividênica, agarro na lapiseira  que jaze sobre o bloco na mesa-de-cabeceira. 

Valendo-me da plumbagina, palavras avulso surgem,construindo frases de nada cheias de tudo.

Pensamentos ou memórias, recordações ou ilusões, tudo assiste para combater a insônia.

Mas no final, nada mais que fantasia, sonho ou desejo.

 

Acordo para divisar que nada estava composto na folha branca que repousava a meu lado.