Sei que tenho andado meio desaparecido, mas esta Páscoa tive um merecido descanso longe de Gadgets, até o telele ficou sem bateria e o carregador em casa enquanto usufruia da calma, chuva e “dolce fare niente” em Rio Maior…

Não pude deixar de assistir na noite de Quita-feira em pleno telejornal uma gaiata a exigir o seu telemovel á professora que tentava desempenhar as suas funções enquanto responsável pela educação dessa jovem.

Como é do conhecimento publico, sou a favor do processo de avaliação dos professores, mas há coisas que eu tenho de defender, esta é uma delas.

Consigo imaginar esta criatura de Deus a entrar num avião para a sua viagem de finalistas e fazer uma birra enorme ao comandante para que ele lhe devolva o seu telemovel, é lhe indiferente estar num avião, sala de aula, á mesa a jantar com os pais ou sozinha no seu quarto… mas tem de ter sempre esse artefacto em seu poder e utilizavel…

Meus amigos, onde é que nós chegamos?

Por diversas fontes sabemos que este não é um caso isolado, talvez seja o unico que tenha sido capturado ( com um gadget semelhante ao protagonista principal do filme) e “postado” na net para todos o podermos ver, mas existem tantos outros exemplos que vão desde o mesmo objecto até, consolas portáteis ou mp3 entre outros.

Começo por não entender os paizinhos permitem que os seus rebentos se façam acompanhar por estas peças indispensáveis para o dia a dia do estudante exemplar, mas tambem condeno as escolas por permitirem o uso dos mesmos dentro das suas instalações, a menos que seja um caso saude ou outro do género (deveria ser permitido usar MP3 nas escolas caso o aluno não tenha paciencia para ouvir os demais a falarem sobre os Morangos Com Açucar do dia anterior, ou porque é que os Tokyo Hotel não actuaram no pavilhão, bem como só poderia ser permitido usar consolas portáteis, caso os pais dos alunos não tivessem deixado ás 4 da manhã terminar o nivel XPTO de determinado jogo, ou ainda os telemoveis para mandar um SMS ao Kid da Papa para saber se tinha conseguido fugir á bófia na noite anterior depois do assalto á bomba de gasolina de Xabregas).

Considero um abuso a permissibilidade, não são os alunos que mandam nas escolas, nem nas aulas, será isto o estatuto de aluno, será assim tão dificil compreender que a liberdade do próximo começa onde termina a minha?

Até quando vamos permitir que os alunos (jovens) brinquem com a vida dos outros?

Não quero parecer que sou ou fui um santinho durante os meus tempos de aluno, antes pelo contrário, mas havia uma coisa … respeito pelos professores, e se não havia respeito havia medo. Sim medo de levar uma réguada, cotovelos nos cantos das secretárias, com o apagador no alto do cucuruto, castigos severos, recados ao encarregado de educação, ou na melhor das hipoteses 10 voltas á escola a correr.

Neste momento os professores tem medo de levar um processo disciplinar por ter posto um aluno de castigo – ah e tal, tadinho dele, pode ter problemas psiquicos para toda a vida – deixem-me dizer uma coisa, se assim fosse poucos seriam os que tem mais de 30 anos que não teriam traumas para toda a vida (pelo menos aqueles que andaram na escola).

Até acredito que tenha… já há muito tempo que percebi que não jogo com o baralho todo…mas não me pareçe que seja por causa de castigos ou afins.

Chega de melodramas, este talvez tenha sido o caso mais mediático, mas espero que com isto tambem o M.E. venha a perceber que existem mais coisas que não estão bem nas escolas Portuguesas.

Pssst….Pssst…. sim é para si Sr. Primeiro Ministro… voçês não foram capazes de fazer uma lei para  se deixar de fumar em recintos de restauração e afins, por uma questão de saude dos próprios e dos que os rodeiam? Então… não lhe parece bem, proibir o uso desde gadgets em locais onde se proporciona uma educação? Assim pode usar o mesmo motivo e tudo, por uma questão de melhor concentração e aprendizagem dos próprios e dos que os rodeiam… vá lá faça um esforço…

Ah… Sr. PM ( não se importa que o chame assim pois não?), faça-me também o favor de não avançar com a porra do Acordo Ortográfico… veja la´o que vai fazer com isso…

Já Perdemos as Bichas nas repartições publicas, agora se chegamos lá e dizemos “Xi… grand’a bicha” acham logo que estamos a chamar nomes a alguem, e ainda por cima ficámos com um termo que no minimo  obriga(va) a existencia de 3 ou mais humanos alinhados na mesma direão  próximos uns dos outros, com o mesmo destino, para essas personagens da nossa ssociedade ( dando assim o eventual sentido figurativo de orgia) quando por vezes não é o caso.

Acho que misturei dois assuntos aqui…mas pronto… devo de andar em poupança de posts… sabem como é a conjectura assim obriga…