Fez no passado mês de Março um ano que após convencer alguns amigos e familiares demos inicio ao primeiro encontro com uma nova actividade desportiva ( para nós) – o Golfe.

Numa primeira abordagem, acompanhados por aquele que viria a ser o nosso instrutor, pareceu-nos extremamente fácil – todo conseguimos dar “porrada na bola”.

Após essa semana passamos a frequentar todos os domingos, no Jamor (Centro de Formação da Fed. Portuguesa de Golfe), aulas de aprendizagem.

Alguns houve, que compraram logo o conjunto de tacos.

A minha principal dificuldade foi iniciar o movimento como se fosse destro, no entanto durante grande parte das aulas insisti em tentar jogar como a grande maioria ( tudo isto tendo sempre em conta os custos futuros e a facilidade de descobrir equipamento para esquerdino – Mais caro e em menos abundância).

No entanto, resolvi tentar o movimento feito por canhotos e rapidamente me habituei, tendo inclusive uma maior liberdade de movimentos e facilidade de concretização do “swing”.

Agora e passado mais de um ano, sou um viciado neste desporto, dos 8 que demos inicio á aprendizagem, apenas eu continuo, todas as semanas ou me encontram no campo a fazer 18 buracos ou num Driving-Range a bater bolas. Uma coisa vos digo, só não vou todos os dias porque também tenho de trabalhar.

O Golfe é um desporto de paixão, ou se adora ou se odeia, só a persistência permite o desenvolvimento e aperfeiçoamento – não exitem auto-didactas nem talentos inaptos.

Por isso e a todos aqueles que quieram experimentar um conselho vos dou – Necessitam de tempo, paciência ( para aceitar que falham mais que acertam, pelo menos nas primeiras vezes), vontade e muito, mas mesmo muito prazer .

Sou neste momento Handicap 26 e não faço tensões de desisitir mas sim tentar sempre melhorar e mais que não seja passear por campos verdes envoltos em calma e pássaros a cantar, arrastando comigo um saco com 11 tacos por 3 ou 4 Kms.

Na zona de Lisboa, num ambiente descontraído a preços acessíveis podem ter um primeiro encontro com anteriormente considerado desporto de “elites” no complexo de formação da Federação Portuguesa de Golfe, no Jamor.