Desde os tempos longinquos que se diz, “que tenha a beleza da Mãe e o feitio do Pai” quando uma mulher está grávida.

Após diversas teorias sobre o assunto e observação da sociedade acho que finalmente consegui perceber o porquê desta expressão…

Chocante ou não, este sempre foi um desejo das mulheres para se tentarem salvaguardar dos  eventuais divertimentos no celeiro…

Ora então pensem comigo…

O feitio, carácter ou personalidade evolui  com as nossas companhias, com quem nos educa, pode ser apreendido por interacção com … o Pai…

A beleza, seja ela muita ou pouca sempre era melhor que fosse da mãe, assim quanto mais parecida fosse com a mãe menos  sairia ao Pai, desta forma salvaguardavam  a eventual hipótese da criança ter sido concebida numa “aventura de celeiro”.

Ora, aqui se vê a inteligência do sexo feminino, desde sempre tentou salvaguardar as suas aventuras, enquanto o Homem ao pensar que desejam que o “seu” rebento tenha o seu feitio fica todo orgulhoso, de peito cheio a pensar que o melhor que tem é o seu carácter e essa a é sua “imagem de marca”, o que mais o destaca dos demais.

Bom, na minha modesta opinião e como Metrosexuais que nos estamos a transformar é altura de desejarmos que os nossos filhos tenham a beleza e o feitio do Pai, ora todos nós sabemos quem é a mãe…certo? E o pai? Quem é, então venham lá crianças com a beleza do Pai, o feitio cá estaremos para que seja também igual ao nosso.

Burros, sempre fomos burros no que toca a relações mas pelo menos sabemos defender o nosso sexo no que toca a relações com o sexo oposto…

Mas sobre este assunto falarei mais tarde…