Após as minhas merecidas férias de Verão, durante as quais “pastei”, “coçei” e outras coisas desses género, na Ilha de Armona ( Olhão para quem não sabe, na Ria Formosa) descobri mais uma das agradáveis surpresas que a nossa, já famosa geração “NOW” tem para nos presentear ( para quem lê esta expressão pela primeira vez convido-o a perder um pouco mais de tempo lendo as entradas anteriores sobre este assunto).

Talvez por ter acabado o período de Aulas, ou por se sentirem superados por assaltos a banco com direito a transmissões televisivas ( praticamente em directo), assaltos a carros de transporte de valores com estilo de filme de hollywood, levou os jovens da Geração “Já” a criarem algo que nos fizesse olhar para eles, dedicar algum tempo e paciência a tentar perceber o porque desta atitude…

Perguntam o quê?

Pois bem, dei com grupos de espécimes “dá cá o meu telemóvel já” a utilizarem os seu gadgets de eleição para ouvir em som Mono as musicas de sua preferência.

Não que tenha alguma coisa contra as musicas que ouvem ou deixam de ouvir…

Mas desculpem lá… ouvir essas “cenas” com som exterior em telemoveis…tenham dó…

Eu sei que é uma questão de altruísmo da vossa parte… ( Ah e tal, pelo menos partilho a minha musica com quem estiver por perto ), mas porra… isso trabalha em mono, a qualidade é péssima e os telemoveis actualmente já vem com “headphones”, de excelente qualidade … poupem nos á vossa necessidade de partilhar os vossos gostos musicais…

Era algo deste gênero

Não sei qual dos leitores se recorda dos anos 80.. nem quem se passeou pelas praias da costa do Estoril       ( talvez não seja preciso pois deve ter acontecido noutras praias), mas recordam-se dos grupos de “pretos” com os seus “tijolos” em cima do ombro a partilharem musica com toda a praia, criando um excelente ambiente( tipo o “gaijo” do final do video?)? Pois é isso mesmo que a geração “now” está a criar novamente…

Também os comparo, quando no tempo em que na minha Juventude, o meu avô me levava ao Estádio do Restelo a ver os jogos do Belenenses e ao nosso lado estava sempre algum velhote com um transmissor AM-FM a ouvir o relato, naquele aparelho de qualidade duvidosa, com uma sonoridade que arrastava para a excentricidade… ( embora saiba que não era com o intuito de incomodar os demais, mas sim esclarecer os lances duvidosos ou saber os resultados de outros jogos).

Pois é a qualidade sonora exterior dos telelés mais parece um pequeno rádio a pilhas, fanhoso e desrespeitador da saude auditiva dos demais.

Ponham lá os “phones” nos ouvidos e obriguem-nos a gritar para que nos dispensem alguma da vossa imperturbável atenção.

PS – preferia muito mais ouvir aqueles leitores de cassetes a rodarem um jogo do spectrum…